A função da arte em ajudar nossos filhos a resistirem ao pior da internet

Se amamos o bem e o apreciamos, fica muito mais difícil ser afetados pelo mal

 

“A toca do coelho seguia em frente como um túnel, e então Alice mergulhou de repente, tão repentinamente que não teve um momento para pensar em se conter antes de cair em um poço muito profundo.” É assim que Alice acaba no País das Maravilhas. Por uma toca de coelho.

Hoje, a internet é o nosso País das Maravilhas e as tocas dos coelhos estão por toda parte, nos puxando cada vez mais para dentro de um mundo novo e estranho. Antes mesmo de termos tempo para pensar sobre onde terminamos, tudo está virado de cabeça para baixo.

Um hiperlink leva você para uma nova página com novas informações e outro hiperlink leva você para outra e outra. Um vídeo após o outro é reproduzido automaticamente no YouTube ou TikTok, com toda uma seleção de vídeos alternativos atraentes cuidadosamente selecionados por um algoritmo para chamar sua atenção e mantê-lo assistindo.

Perigos

Essas tocas de coelho são uma perda de tempo viciante. Pior ainda, elas geralmente levam a vídeos, imagens e sites que são menos do que inocentes. É um problema comum usar a internet com a mais nobre e pura das intenções, mas acabar sendo atraído para a toca do coelho. Já é bastante difícil para os adultos evitá-lo. Sabemos que é errado e lutamos contra isso. Mesmo assim, frequentemente falhamos.

Como pai, estou ainda mais preocupado com isso em relação aos meus filhos. Mentes jovens e impressionáveis ​​são involuntariamente expostas a conteúdos perturbadores que não entendem muito bem, deixando-as confusas e perturbadas. Esse tipo de conteúdo é particularmente perigoso para o desenvolvimento das mentes e pode formar a base de uma vida inteira de luta contra os vícios viciantes.

Os pais fariam bem em não confiar na internet, que está repleta de tocas de coelho que parecem levar inevitavelmente aos cantos mais sombrios da psique humana. Recentemente li um artigo no New Liturgical Movement que fazia referência a “o fascínio viciante de imagens subversivas”. O autor, David Clayton, deu uma sugestão única para ajudar as crianças a resistirem às tentações da internet:

“Ensine-as a amar a verdadeira arte”

Sua sugestão me lembra de como, há vários anos, eu estava procurando um livreto ilustrado para ajudar meus filhos a acompanharem a missa. A grande maioria dos livros criados para esse fim usam desenhos, mas encontramos um que usava ilustrações de alta qualidade de belas obras de arte. Eles adoraram olhar as fotos e isso os ajudou a compreender a grandiosidade da Missa.

Função da arte na formação das crianças

Já escrevi antes sobre como nossa casa é cheia de arte e o quanto nossos filhos a amam. É por isso que acho que a sugestão de David Clayton faz muito sentido. Parece-me que, se a internet – ou outdoors, ou anúncios, ou o exemplo de outras crianças na escola – inundar nosso ambiente com imagens e conteúdo perigosamente inadequados, seria uma grande ajuda para nossos filhos serem formados não apenas para resistir porque não é saudável para suas almas, mas também a rejeitar porque eles já amam algo melhor.

Se amamos o bem e o apreciamos, fica muito mais difícil sermos afetados pelo que é mal e repleto de baixa qualidade. Por outro lado, se nunca aprendermos a apreciar a verdadeira arte, então será muito mais fácil sucumbir a imagens perigosas. Para adultos e crianças, elevar nossa imaginação muda o que pensamos e o que nos atrai.

Antídoto

Como pais, podemos ajudar nossos filhos a resistir aos buracos escuros do coelho da Internet, não apenas prestando atenção em como usam seu tempo na tela, mas também ajudando-os a apreciar a grande arte. Isso pode ser feito facilmente em casa, colocando arte nas paredes, incorporando aulas de desenho e pintura em sua educação, e frequentando lindas igrejas.

A grande arte está repleta de bondade, beleza e verdade. Essas são virtudes que elevam todas as outras partes de nossas vidas. Não é fácil para nossos filhos crescer com as constantes tentações da internet. Seria um grande presente mostrar a eles um caminho melhor para que suas vidas não sejam consumidas pela negatividade da constante batalha contra a tentação, mas sim, cada dia será uma peregrinação alegre e feliz em direção à beleza e à bondade.

Michael Rennier

https://pt.aleteia.org/2021/02/01/a-funcao-da-arte-em-ajudar-nossos-filhos-a-resistirem-ao-pior-da-internet/